O paraíso da reforma e o pesadelo da estufa

O comportamento de um grupo não define uma corporação, mas uma corporação, seja ela qual for, não pode tolerar ter entre os seus quem tenha um comportamento odioso como o destes militares da GNR.

Os sete militares do Destacamento Territorial de Odemira acusados pelo Ministério Público de torturar e humilhar imigrantes do Bangladesh, Nepal e Paquistão (por “satisfação e desprezo”) exibem um sadismo digno do pior das imagens que vimos em Abu Ghraib. Três deles são reincidentes, pois tinham sido condenados por agressões a imigrantes, dois estão suspensos e os outros cinco aguardam a aplicação de sanções.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários