Ano 2021, esquerda horribilis

Tudo indica que o ano que agora termina ficará para a esquerda portuguesa como um annus horribilis.

O chumbo pelo Parlamento da proposta de Orçamento do Estado para 2022 e a precipitação de eleições legislativas antecipadas, marcadas para 30 de Janeiro pelo Presidente da República, foram os acontecimentos que marcaram o ano político de 2021 e têm, por si, consequências profundas na vida política portuguesa futura.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários