Seis espumantes para celebrar o tempo perdido

Quem não pode comprar champanhe para alegrar as festas, pode muito bem abrilhantá-las com espumantes feitos em Portugal. Já não nos podemos queixar de não termos alternativas razoáveis.

Foto
Nelson Garrido

Levamos um Natal e uma passagem de ano em suspenso. Por causa da pandemia, tivemos que reformular ou até mesmo adiar a celebração da vida em família. Presos pelo confinamento e pela contenção perante a tragédia colectiva, deixámos muito vinho por beber, em especial o vinho efervescente que nasceu para os momentos festivos, as bolhas que alimentam e estimulam o contentamento ou até a felicidade momentânea.

Sugerir correcção
Comentar