Com os outros bancos centrais em retirada, BCE aposta para já em ser flexível

Com previsões de inflação revistas em alta, o BCE começa já em Janeiro a abrandar o ritmo de compras e não coloca de parte a possibilidade de subir taxas mais cedo que o previsto. Mas o plano é ainda retirar os estímulos “passo a passo”.

Foto
Reuters/POOL

Preparados para ir numa direcção ou na outra. É assim que os responsáveis do Banco Central Europeu (BCE), ou pelo menos uma larga maioria deles, preferem estar neste momento em que a economia da zona euro recupera e a taxa de inflação dispara, mas em que os níveis de incerteza em relação ao que irá acontecer nos próximos meses permanecem ainda muito elevados.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários