Covid-19 na grávida: um desafio da Obstetrícia de Alto Risco

Nos últimos dois anos, a obstetrícia e a medicina materno-fetal enfrentaram um grande desafio com o aparecimento da pandemia. No início, os casais tiveram muito receio em avançar com o projecto de uma gravidez, principalmente pelo desconhecimento desta nova doença.

Foto
Nascer durante a pandemia quando a mãe está infectada (no Hospital de São João, no Porto) Manuel Roberto/Arquivo

Ao longo dos anos temos verificado um aumento de incidência de gravidez de alto risco, principalmente, devido ao adiar da maternidade para idades mais avançadas. Na maioria dos casos de gravidez de alto risco, o risco da gravidez deve-se a uma condição ou doença da mãe que já existe antes de esta engravidar. Mas, também, podem ser situações inerentes à própria gravidez ou relacionadas com o feto ou com a placenta.

Sugerir correcção
Comentar