Espanha e Portugal arriscam sobrepesca no Mediterrâneo e no Golfo da Biscaia

Documentos internos mostram que os ministros europeus das pescas estão mais uma vez a ignorar os pareceres científicos dos peritos internacionais da UE sobre a protecção dos recursos marinhos.

Foto
Jose Fernandes

Os governos de Espanha e Portugal querem permitir mais pesca nas águas do Mediterrâneo e da Península Ibérica do Atlântico em 2022 do que a Comissão Europeia e os seus conselheiros científicos exigem, a fim de evitar a ameaça de sobreexploração dos recursos piscatórios. Esta é a conclusão dos relatórios internos acerca das negociações no Conselho da União Europeia (UE) sobre quotas legais de pesca, obtidos pela equipa de jornalistas da Investigate Europe (IE).

Sugerir correcção
Ler 12 comentários