Testemunhos indicam que trabalhador foi atropelado pelo carro de Cabrita antes do local onde estava a carrinha de sinalização

Uma das testemunhas é o condutor da carrinha de sinalização, que viu Nuno Santos atravessar a faixa de rodagem em direcção ao separador central pela parte traseira da viatura. Antes do embate não havia avisos de trabalhos na via.

Foto
O carro onde seguia o, na altura, ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, estacionado no A6 no seguimento do acidente que envolveu uma vitima mortal por atropelamento LUSA/Paulo Cunha

Os testemunhos no processo de investigação do acidente em que esteve envolvido o carro do ex-ministro Eduardo Cabrita na A6, no dia 18 de Junho, indicam que Nuno Santos, 43 anos, foi atropelado mortalmente a pelo menos três metros de distância da viatura de sinalização temporária de trabalhos na auto-estrada e que, efectivamente, antes do local onde se deu o acidente não havia qualquer aviso. A falta de sinalização foi sempre referida pelo ex-ministro e pelos membros da comitiva que o acompanhavam nesse dia em três viaturas.

Sugerir correcção
Ler 68 comentários