A coragem barata

A nossa coragem low cost é endémica. A versão clássica é o “Agarrem-me, senão eu mato-o”, dito só depois de nos certificarmos que nos prenderam levemente os braços.

As pessoas conhecem-me e, quando estão aborrecidas, a olhar para o infinito ou à espera da vez, distraem-se a tentar fazer contrabando de ideias, a ver se me conseguem exportar alguma noção destrambelhada que tenham.

Sugerir correcção
Ler 12 comentários