Serviços de saúde mental vão ter uma “coordenação nacional” com poderes executivos

Reforma dos serviços de saúde mental deverá levar ao desaparecimento do actual Programa Nacional de Saúde Mental e conta com 85 milhões do PRR. Governo tem até final de Janeiro para nomear os responsáveis pela reforma.

Foto
Miguel Xavier é o actual director do Programa Nacional de Saúde Mental Rui Gaudencio

O Governo tem até 31 de Janeiro para nomear os responsáveis pelo órgão de coordenação nacional dos serviços de saúde mental. A reforma destes serviços tem já garantidos 85 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e o novo modelo organizativo foi aprovado na quinta-feira em Conselho de Ministros, sob a forma de um decreto-lei que deverá ser publicado até ao final deste mês.

Sugerir correcção
Comentar