Explosão de etanol em escola superior de Ponte de Lima faz dois feridos graves

Vítimas são funcionárias que estavam a preparar uma refeição para os participantes num workshop que decorria na Escola Superior Agrária.

Foto
Adriano Miranda/Arquivo

Duas funcionárias de 52 e 53 anos ficaram esta sexta-feira feridas com gravidade na sequência da explosão de etanol de um equipamento que aquecia refeições, na Escola Superior Agrária (ESA), em Ponte de Lima, disse à Lusa fonte da protecção civil.

Segundo a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, as duas mulheres foram transportadas ao hospital de São João, no Porto.

Contactado pela agência Lusa, o presidente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), Carlos Rodrigues, explicou que as duas funcionárias estavam a preparar o almoço que seria servido aos participantes num workshop que decorria na ESA, instalada no convento de Refoios, em Ponte de Lima.

A explosão de etanol que feriu as duas funcionárias ocorreu na cozinha dos frades, como é conhecida, situada no interior do convento.

“A cozinha dos frades é regularmente utilizada para a confecção das refeições servidas em eventos realizados pela ESA”, especificou Carlos Rodrigues

O refeitório da ESA, criada em 1985, e que serve os mais de 600 alunos da ESA, fica situado num espaço exterior ao convento.

Fonte do CDOS de Viana do Castelo adiantou que a explosão não casou incêndio, nem danos estruturais no edifício.

Contactada pela Lusa, fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo adiantou que o caso foi classificado como acidente de trabalho, tendo sido accionada a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), responsável pela investigação das causas que originaram a explosão.

Ao local compareceram sete viaturas e 15 operacionais dos Bombeiros de Ponte de Lima, ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV), estacionada no hospital Conde de Bertiandos, Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e a GNR.

Sugerir correcção
Comentar