Chanceler austríaco demite-se depois de Sebastian Kurz anunciar abandono da política

Alexander Schallenberg esteve menos de dois meses à frente do Governo austríaco.

Foto
Alexander Schallenberg Reuters/LISI NIESNER

O chanceler austríaco, Alexander Schallenberg, vai demitir-se para abrir o caminho do poder a quem assumir a liderança do Partido Popular (ÖVP, conservador), fez saber esta quinta-feira. O anúncio foi dado poucas horas depois de o ex-chanceler e até agora líder do ÖVP, Sebastian Kurz, ter anunciado a sua retirada da política para se dedicar à família.

Alexander Schallenberg ficou à frente do Governo da Áustria em Outubro, depois de Kurz se ter demitido, na sequência da abertura de uma investigação por suspeitas de corrupção. Menos de dois meses depois da tomada de posse, sai para que o sucessor de Kurz à frente do partido conservador também assuma a liderança do executivo austríaco.

“Acredito firmemente que ambas as posições – chefe de governo e líder do partido austríaco com mais votos – devem ser novamente ocupadas pela mesma pessoa”, disse Schallenberg, informando que não pretende candidatar-se à liderança do Partido Popular.

“Estou, por isso, a colocar o meu cargo de chanceler à disposição assim que for definido um rumo para o partido”, acrescentou.

Muitos acreditavam que Schallenberg – diplomata de carreira e sem filiação partidária – era apenas uma figura presente no Governo, com Kurz a manter-se como um “chanceler na sombra” enquanto não conseguia limpar o seu nome das suspeitas de quebra de confiança, corrupção e suborno.

Antes de se tornar chefe de Governo, uma sugestão do próprio Kurz, Alexander Schallenberg serviu como ministro dos Negócios Estrangeiros.

A saída de cena de Sebastian Kurz surpreendeu a Áustria e deixou um vazio no ÖVP. Vários meios de comunicação austríacos têm apontado o ministro do Interior, Karl Nehammer, como o mais provável sucessor de Kurz à frente do partido e do governo conservador. A liderança do ÖVP reúne-se esta sexta-feira para fazer a escolha.