Ronaldo e Bruno Fernandes selam vitória sobre o Arsenal

Médio português do Manchester United não marcava desde 11 de Setembro. Cristiano bisou, consumando a reviravolta de penálti.

Foto
Cristiano Ronaldo bisou em Old Trafford EPA/PETER POWELL

Cristiano Ronaldo, com um “bis”, e Bruno Fernandes “construíram” esta quinta-feira a vitória do Manchester United sobre o Arsenal, por 3-2, no fecho da 14.ª jornada da Liga inglesa.

Em Old Trafford, os “gunners”, com o lateral luso Nuno Tavares de início, adiantaram-se no marcador aos 13 minutos, num golo algo caricato: na sequência de um canto a favor dos londrinos, David de Gea lesionou-se e caiu no chão, só que o árbitro não viu o infortúnio do guarda-redes dos “red devils” e, quando apitou para interromper a partida, já o remate de Smith Rowe tinha entrado na baliza, pelo que o tento tinha obrigatoriamente de ser validado.

No entanto, o Manchester United, que também teve Diogo Dalot entre os titulares, empatou em cima do intervalo, aos 44 minutos, com Bruno Fernandes a assinar o primeiro golo desde 11 de Setembro, antes de Cristiano Ronaldo, aos 52’, consumar a reviravolta dos anfitriões.

A resposta do Arsenal foi imediata e Martin Odegaard repôs a igualdade, aos 54 minutos, só que o internacional norueguês viria a “borrar a pintura”, ao cometer uma grande penalidade sobre Fred, que permitiu a Cristiano Ronaldo “bisar”, aos 70’, e consumar o triunfo do United.

A formação ainda comandada interinamente por Michael Carrick colocou fim a uma série de três partidas sem vencer na Premier League e subiu ao sétimo lugar, com 21 pontos, estando agora a dois do Arsenal, quinto, e a três do West Ham, que ocupam os derradeiros lugares de acesso às competições europeias da próxima época.

Logo acima dos “red devils”, na sexta posição, segue o Tottenham, com 22 pontos e menos um jogo, depois de ter batido o Brentford (12.º) por 2-0, graças a um autogolo do espanhol Sergi Canos, aos 12 minutos, e a um tento do sul-coreano Heung-Min Son, aos 65’.

Os “spurs”, que somaram a segunda vitória seguida na prova sob o comando de Antonio Conte, capitalizaram o “deslize” do Wolverhampton diante do Burnley (0-0), e ultrapassaram a formação treinada pelo português Bruno Lage, que caiu para o oitavo posto, com os mesmos 21 pontos do Manchester United.