Há decisões a tomar para o derby de Lisboa

No Benfica e no Sporting, as escolhas de Jesus e Amorim não vão reflectir apenas a crença nos jogadores X ou Y, mas espelhar, logo no momento do anúncio dos “onzes”, aquilo que os treinadores vão querer para o jogo.

futebol,sporting,sl-benfica,desporto,i-liga,futebol-nacional,
Fotogaleria
Reuters/PEDRO NUNES
futebol,sporting,sl-benfica,desporto,i-liga,futebol-nacional,
Fotogaleria
EPA/RODRIGO ANTUNES
futebol,sporting,sl-benfica,desporto,i-liga,futebol-nacional,
Fotogaleria
LUSA/TIAGO PETINGA
futebol,sporting,sl-benfica,desporto,i-liga,futebol-nacional,
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
EPA/SERGEY DOLZHENKO
Fotogaleria
LUSA/RODRIGO ANTUNES
,Vitória SC
Fotogaleria
EPA/LUIS FORRA
,Avançar
Fotogaleria
LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

“Que avançados devo escolher para atacar a melhor defesa da I Liga?”, pergunta Jorge Jesus. “Então e eu? Sem o Palhinha e o Coates, tenho de decidir que médio e central uso para resistir ao melhor ataque do campeonato...”, responde Rúben Amorim. O diálogo é fictício, que os clubes não se prestam a conversas deste tipo, mas é nestes dois dilemas, um no Benfica e um no Sporting, que Jorge Jesus – com Everton, Darwin, Seferovic e Yaremchuk para dois lugares – e Rúben Amorim – sem João Palhinha e tudo indica que sem Sebastián Coates vão ter de tomar decisões para abordarem o derby desta sexta-feira.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários