Três anos de espera para tratamentos de fertilidade no público com ovócitos e esperma doados

Banco Público de Gâmetas já recebeu doações de dez homens e 21 mulheres. Apesar da melhoria em relação a 2020, ainda é insuficiente para responder às necessidades. Há 660 pessoas em lista de espera para gâmetas masculinos e 345 pessoas para gâmetas femininos.

Foto

Marta tinha 38 anos quando no final do ano passado fez o primeiro pedido de consulta de fertilidade. Sabia que o tempo não estava a seu favor, mas achou que seria possível tentar ser mãe com a ajuda do SNS. Afinal, o limite de idade para técnicas de procriação medicamente assistida (PMA) de primeira linha, como a inseminação artificial, é de 42 anos, e de segunda linha, como a fertilização in vitro, é de 40 anos. Mas com um projecto monoparental, confrontou-se com a uma difícil realidade. O tempo de espera para tratamentos com material doado no serviço público é de três anos.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários