“Black Friday” traz menos promoções “irresistíveis” e a culpa é das compras online

Há alguns artigos indisponíveis, mas não tantos como se temia. Comparadores de preços são úteis para consumidores e empresas e até para entidades públicas como a ASAE ou Autoridade da Concorrência (AdC).

Foto
"Black Friday", uma criação dos americanos que rapidamente se espalhou por outros paises EPA/NEIL HALL

Mais uma “Black Friday”, desta vez com alguma ruptura de artigos e com menos preços “irresistíveis”. Este evento comercial, que acontece esta sexta-feira mas que já se foi diluindo ao longo de todo o mês de Novembro, deverá ficar marcado por uma aumento significativo das vendas, mas com descontos mais modestos, ou seja, sem percentagens acima de 50% ou de 70% e 80% como acontecia no passado (mesmo que nem sempre verdadeiros).

Sugerir correcção
Ler 1 comentários