Negócios, comissões e ligações: as suspeitas que recaem sobre Pinto da Costa e filho

Empresa do filho de Pinto da Costa admitiu no passado ter feito negócios com clube. Comissões sob investigação do Ministério Público ultrapassam os 20 milhões de euros.

Foto
Pinto da Costa e o filho, Alexandre

O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, e o filho, Alexandre, nem sempre tiveram as melhores relações. As costas estiveram voltadas durante longos anos, mas um cancro no pulmão, que obrigou Alexandre a ser operado, voltaria a reaproximar a família Pinto da Costa. A influência de Alexandre no presidente mais titulado da história é tema tabu no Dragão, com o dirigente portista a negar por diversas vezes acusações de conflitos de interesse. “O meu filho não faz negócios com o FC Porto”, chegaria a dizer, já em 2020. A alegada influência crescente de Alexandre no clube seria um dos motivos que contribuíram para a saída do vice-presidente Antero Henriques em 2016, depois de 26 anos nos “dragões”. Esta segunda-feira, pai e filho foram alvo de buscas e o PÚBLICO explica-lhe o que está em causa neste caso.