Catarina Furtado no Egipto: “O mais difícil é as meninas terem confiança nelas próprias para dizerem que não a um pai que as quer casar”

Catarina Furtado esteve no Egipto para conhecer alguns projectos do Fundo das Nações Unidas para a População, que têm como objectivo acabar com práticas nefastas contra as meninas e raparigas, como o casamento precoce.

Foto
A visita serviu ainda para lançar o projecto Noura, que “tem como fim empoderar as raparigas, sobretudo entre os 18 e os 24 anos” DR

É difícil resumir 21 anos: faltam as palavras a Catarina Furtado quando começa a pensar em tudo o que já viu e fez ao longo deste tempo que assumiu o papel de embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), ligado à saúde sexual e materna. A última missão passou pelo Egipto, onde esteve no final do mês de Outubro, numa visita de campo ao trabalho do UNFPA junto de jovens egípcias — para mostrar que é “positivo investir na saúde e educação das raparigas”.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários