Preços na produção industrial aumentam 15,9% em Outubro

Preços dos agrupamentos de energia e de bens intermédios aumentaram 50,6% e 14,9% face a igual mês de 2020, “fortemente influenciados pela evolução dos preços da produção de electricidade”, do petróleo e de derivados, “incluindo os produtos químicos e fibras sintéticas”

Foto
Adriano Miranda

Os preços na produção industrial aumentaram 15,9% em Outubro, em termos homólogos, acelerando 2,5 pontos percentuais relativamente ao registado em Setembro, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o instituto estatístico, os preços dos agrupamentos de energia e de bens intermédios aumentaram 50,6% e 14,9%, respectivamente por comparação com igual mês de 2020 (tinham subido 39,4% e 14,2% em Setembro), dando contributos de 8,9 e 5,5 pontos percentuais para a variação do índice total.

“Estes aumentos estão fortemente influenciados pela evolução dos preços da produção de electricidade, assim como do petróleo e seus derivados, incluindo os produtos químicos e fibras sintéticas”, referiu o INE.

Desta forma, excluindo o agrupamento de energia, os preços na produção industrial registaram uma subida de 8,5% (7,7% em Setembro). A secção das indústrias transformadoras registou uma variação homóloga de 11% (10,1% em Setembro), da qual resultou um contributo de 9,9 pontos percentuais para a variação do índice total.

Já a secção da electricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio contribuiu com 5,8 pontos percentuais, devido ao aumento de 74,2% (51,3% em Setembro).

Numa análise à variação mensal, em cadeia, o INE observou que o índice de preços na produção industrial evoluiu 2,4% em Outubro (0,1% no mesmo período de 2020) face a Setembro último. O agrupamento de energia apresentou o contributo de maior intensidade, com 1,7 pontos percentuais.

Excluindo aquele agrupamento, os preços na produção industrial subiram 0,9% em Outubro (0,6% no mês anterior).

Já por secções, o principal contributo foi dado pela electricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio (1,4 pontos percentuais), na sequência do aumento de 13,2% (-1,7% em Outubro 2020).

Já a secção das indústrias transformadoras contribuiu com um ponto percentual, que resultou da taxa de variação mensal de 1,1% (0,2% no período homólogo).