Mercedes pede revisão do incidente entre Hamilton e Verstappen no Brasil

Novas imagens levaram a escuderia alemã a avançar, depois de o incidente ter sido desvalorizado pelo director da corrida.

Foto
Reuters/AMANDA PEROBELLI

A Mercedes pediu uma revisão do incidente que envolveu o britânico Lewis Hamilton e o neerlandês Max Verstappen (Red Bull), no Grande Prémio do Brasil de Fórmula 1, disputado no domingo. Este pedido  surge com base em “novas provas que não estavam disponíveis para os comissários de corrida no momento da decisão”.

“A Mercedes-AMG Petronas F1 Team confirma que solicitou um Direito de Revisão nos termos do Artigo 14.1.1 do Código Desportivo Internacional, em relação ao incidente na Curva 4 entre o Carro 44 e o Carro 33 na volta 48 do Grande Prémio do Brasil, com base em novas provas indisponíveis para os comissários no momento da decisão”, indicou a Mercedes, em comunicado.

Verstappen foi alvo de uma tentativa de ultrapassagem por Hamilton na curva quatro da 48.ª volta da corrida realizada em São Paulo, e defendeu-se, saindo de pista com o britânico, que, mais tarde, aproveitou o DRS (sistema que permite ao carro que segue a menos de um segundo ganhar vantagem aerodinâmica nas rectas) para chegar à liderança, que nunca mais perdeu.

Após o momento “caloroso”, os comissários não consideraram necessário investigar o incidente, por entenderem ter-se tratado de uma situação normal de corrida.

Posteriormente, o director da prova, Michael Masi, explicou que só mais tarde foi possível ter acesso a todos os vídeos, em particular às imagens filmadas a bordo do Red Bull, que poderiam culpabilizar o neerlandês, caso fosse possível descortinar um movimento intencional do volante na direcção de Hamilton.

O britânico ultrapassou o líder do campeonato na 59.ª das 71 voltas da corrida brasileira, terminando com o tempo de 1h32m22,851s no traçado de Interlagos, em São Paulo, deixando Verstappen no segundo lugar, a 10,496 segundos, e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) no terceiro, a 13,576s.

Com estes resultados, Hamilton recuperou sete pontos ao líder do campeonato, o holandês da Red Bull.