E os Melhores Queijos de Portugal do ano são...

Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios revelou resultados do concurso de 2021, em que foram avaliados, em prova cega, mais de 200 queijos. Há 23 que mereceram prémio.

Foto
DR/ANIL

É considerado um momento “muito importante para o sector” da indústria queijeira e pretende ir “potenciando a tão desejada cultura de queijo”, nas palavras de Maria Cândida Marramaque, directora-geral da entidade organizadora do evento, a Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL). Este ano, o concurso Melhores Queijos de Portugal distinguiu 23 queijos com os prémios principais.

É já a 12.ª edição da competição, cujos vencedores foram dados a conhecer numa cerimónia realizada esta sexta-feira na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, no Porto. Em competição estiveram 203 queijos, representando produções de 54 empresas, e isto porque cada empresa pode participar em qualquer das categorias a concurso.

Avaliados por 20 jurados, em “provas cegas”, entre os vencedores contam-se as marcas Valformoso (melhor flamengo, o de bola) e queijo para barrar (ervas e alho), Paiva (melhor queijo fresco de vaca e de vaca cura normal), a Queijaria Sapata (distinguida pelo queijo fresco de ovelha e também pelo requeijão de ovelha), ou a Três Igrejas (melhores mistura de cura prolongada e queijo de novos sabores, no caso o Pimentas da Terra). 

Na iniciativa participaram dezenas de “empresas de Norte a Sul” no continente, mas também dos Açores (oito) e, pela primeira vez, uma empresa madeirense.

Segundo a organização, o “evento atingiu já uma maturidade bastante interessante, uma vez que consegue reunir uma diversidade de queijos com níveis de qualidade acima da média.