Tráfico de diamantes: advogados terão emprestado contas, forjado contratos e ajudado a branquear milhões

Apenas dois dos arguidos ficaram em prisão preventiva: o ex-sargento dos Comandos e alegado líder da rede, Paulo Nazaré, e um dos seus cúmplices, Wilker Rodrigues de Almeida. Em causa estão crimes relacionados com o tráfico de diamantes, ouro e droga, e branqueamento de capitais.

Foto
Arguidos conheceram esta quarta-feira as medidas de coacção CEMGFA

A rede alegadamente liderada por Paulo Nazaré, ex-sargento dos Comandos, e que se dedicava ao tráfico de diamantes, ouro, droga e branqueamento de capitais, contava com vários elementos, entre eles dois advogados. Um deles está entre os 11 detidos pela Polícia Judiciária (PJ) na segunda-feira e o outro foi apenas alvo de busca domiciliária.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários