PS dividido sobre fim da lei de libertação de presos. Saíram 3018 e voltaram 659

Argumentos contra a revogação do perdão que vigora há ano e meio radicam num eventual agravamento da pandemia e na elevada taxa de encarceramento em Portugal.

Foto
Medida possibilitou a saída definitiva das cadeias de 2359 pessoas Paulo Pimenta

Apesar de a indicação da direcção da bancada parlamentar do PS ser para a viabilização das propostas do PSD e do CDS que revogam a lei que permite a libertação de presos sob o argumento do combate à pandemia, os deputados socialistas estão divididos sobre o assunto. Boa parte dos deputados do PS na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, onde o tema é tratado, serão mesmo contra o fim desse regime que vigora há ano e meio e que já abriu a porta da cadeia a cerca de três mil presos.

Sugerir correcção
Comentar