Musgo: uma companhia especialmente independente celebra dez anos

Não é muito conhecida fora do Porto, mas quem presta atenção ao teatro underground da cidade sabe do seu trabalho. Para festejar a entrada na pré-adolescência, a companhia de Joana Moraes apresenta, até 28 de Novembro, o seu décimo primeiro espectáculo — o primeiro a ser financiado pela Direcção-Geral das Artes.

Foto
A décima primeira peça da Musgo é "Ninguém pára a minha bicicleta", para ver no Espaço AL859 , Porto, até 28 de Novembro

2011. Joana Moraes (n. 1977), estudante da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), está prestes a terminar o seu mestrado em Encenação e Interpretação. O último projecto da sua pesquisa académica passa pela produção de uma peça de teatro. Deseja criar um espectáculo sobre a solidão e as dificuldades de comunicação que por vezes travam ou contaminam as nossas aproximações ao Outro. Quer que as actrizes Ana Vargas (n. 1980) e Joana Carvalho (n. 1977) e o intérprete Gilberto Oliveira (n. 1981), co-fundador da companhia de circo contemporâneo Erva Daninha, a acompanhem no processo de criação e integrem o elenco. Desse encontro sai Gostava de ter um periquito…, criação que, depois da sua estreia no Maus Hábitos, restaurante e espaço de intervenção cultural portuense, terá uma carreira longa, percorrendo várias casas alternativas da cidade.

Sugerir correcção
Comentar