“Não podemos olhar para um dos maiores movimentos anti-racistas da história britânica como uma moda”

Em 2017 Reni Eddo-Lodge publicou o livro Porque deixei de falar com brancos sobre raça. Um retrato das formas que o racismo estrutural assume no Reino Unido. Podia ser também em Portugal.

Foto
Ekua King

Reni Eddo-Lodge escreveu Porque deixei de falar com brancos sobre raça depois de um post no seu blogue em 2014 ter provocado um rol de reacções, tornando-o viral. Nesse pequeno texto esta jornalista inglesa que hoje tem 32 anos dizia que se recusava a debater com as pessoas brancas que negassem a existência do racismo estrutural e os seus sintomas. Em 2017 seria editado o livro em sequência deste post. Hoje está publicado em 12 países, incluindo Portugal desde Agosto pelas Edições 70. Dividido em capítulos que vão desde a construção histórica do racismo e do papel do colonialismo na sua manutenção, o livro faz uma panorâmica da forma como a hierarquia racial ainda opera em várias esferas sociais e os seus efeitos. É um livro que se centra no Reino Unido mas consegue estabelecer paralelos com outros países; em vários passos da leitura a sensação é que podia ser Portugal.