Novo estudo confirma que dexametasona reduz mortes de hospitalizados com covid-19 – incluindo de diabéticos

Como o uso de dexametasona está associado a aumentos nos níveis de açúcar no sangue, uma equipa do Reino Unido quis saber se o medicamento seria mesmo benéfico para diabéticos. A sua análise sugere que há benefícios tanto para doentes sem como com diabetes.

Foto
A dexametasona é um medicamento barato usado há décadas Yves Herman/Reuters

Um novo estudo confirma que a dexametasona é eficaz no tratamento de doentes hospitalizados com covid-19: numa amostra com mais de 2000 pessoas no Reino Unido, este medicamento reduziu o risco de admissão em unidades de cuidados intensivos e de morte em 56%. Como o seu uso pode aumentar os níveis de açúcar no sangue, uma das dúvidas era se se colocaria em risco a vida de diabéticos. Acabou por verificar-se que a dexametasona também tem impacto na redução da mortalidade em diabéticos. Contudo, estes doentes e outros que possam desenvolver complicações ligadas à diabetes devem continuar a ser monitorizados e podem necessitar de medicação extra. Todos estes resultados e indicações foram apresentados esta semana na conferência anual da Sociedade para a Endocrinologia do Reino Unido, em Edimburgo.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários