Emma Raducanu: a jovem tenista de sucesso foi alvo de comentários sexistas

Com apenas 18 anos, tenista britânica já fez história na modalidade ao tornar-se a mais nova a chegar aos quartos de final no torneio americano US Open. Agora é acusada pelo selecionador inglês de râguebi de “se ter distraído” com capas de revistas e eventos de moda.

Foto
A jovem tenista Emma Raducanu foi considerada a "Cinderela do ténis" Reuters/LEONHARD FOEGER

Aos 18 anos, a tenista Emma Raducanu apareceu e surpreendeu tudo e todos ao vencer o US Open a Setembro de 2021, derrotando a canadiana Leylah Fernandez na final e tornando-se a primeira jogadora a conquistar uma prova do Grand Slam vinda do qualifying. Mas, pouco tempo depois de uma época de sonho vieram as primeiras derrotas e a jovem foi eliminada do torneio Indian Wells, desistiu da Kremlin Cup e caiu nos quartos-de-final de Cluj-Napoca. Segundo o seleccionador de râguebi do Reino Unido, Eddie Jones, a culpa é das distracções da fama, entre elas, as capas de revistas e eventos de moda em que a jovem tem participado. Mas este foi um comentário que não caiu bem junto de outras atletas femininas.

Foi numa conferência de imprensa que o treinador de râguebi de Inglaterra usou como exemplo a onda de má sorte da tenista britânica, comparando com o que não pode acontecer com Marcus Smith, um dos jogadores que tem tido um dos melhores desempenhos e que, segundo Jones, precisa de se manter focado. “Ele tem de ser afastado das distracções que estão fora de campo. Existe uma razão para o facto de aquela jovem rapariga que ganhou o US Open não ter estado tão bem depois disso. Temo-la visto na capa da Vogue ou da Harper's Bazaar, ou qualquer outra coisa, com roupa Christian Dior... Tudo aquilo é uma distracção à volta dela”, justificou.

No seguimento destas declarações, o técnico tem sido criticado nas redes sociais e chegou a ser acusado de ser sexista pela ex-tenista profissional, Jo Durie. “Emma não é só uma rapariga, ela é uma mulher de 18 anos. Ninguém reclama quando são homens convidados a ir galas; é sempre algo atirado às mulheres”, disse numa entrevista ao Telegraph. “Infelizmente, quando és famosa, todos tem uma opinião sobre ti”, acrescentou. 

A sessão fotográfica para a Vogue. Vogue
A sessão fotográfica para a Vogue. Vogue
Emma Raducanu vestida pela Dior na estreia do novo filme de James Bond DIOR
Fotogaleria
Vogue

A verdade é que o estrelato de Emma Raducanu aconteceu da noite para o dia. Filha de pai romeno e mãe chinesa, a jovem mudou-se ainda pequena para Bromley, no sul de Londres, e o ténis entrou na sua vida aos cinco anos. Este Verão apareceu em Wimbledon, depois de terminar os exames do secundário, e contrariou todas as previsões. 

“Aconteceu tudo muito rapidamente, desde Wimbledon até ao US Open. Há muito que digerir e claro que ela agora está debaixo dos holofotes e será algo que ela tem de aprender a lidar com, porque quando ganhas um Grand Slam, especialmente quando apareces do nada, surpreendendo toda a gente, são muitas as questões que surgem”, disse, por seu lado, à Eurosport, Justine Henin, antiga tenista belga, que conquistou sete títulos de Grand Slam e dois no US Open, tendo sido considerada em 2008 número 1 mundial. 

E com os prémios vem também a atenção mediática e os contratos publicitários. Até agora, Emma Raducanu já trabalhou com marcas como a Tiffany & Co, Aston Martin, vestiu Christian Dior para o evento de lançamento o último James Bond, No Time to Die, e posou para a capa da Vogue

A própria Emma Raducanu já respondeu aos comentários de Eddie Jones e garantiu que o seu foco é a carreira desportiva. “Deixei completamente claro a todas as pessoas da minha equipa que não vou cancelar um único treino devido a quaisquer compromissos extra ténis. Não é negociável para mim”, declarou a britânica na abertura da competição Upper Austria Ladies Linz. “Sei gerir o meu tempo com esses compromissos.” 

Para Justine Henin, a jovem precisa de tempo para recuperar. A ex-tenista avalia que a imagem pública é, hoje em dia, um dos maiores desafios para os mais novos. “Ela é ainda muito nova, terá de lidar com muitos problemas como este, especialmente relativos à sua imagem, que é um dos grandes perigos para as carreiras, porque rouba imensa energia. Mas ao mesmo tempo ela tem de saber conciliar o jogo da imprensa e dos patrocinadores.”


Texto editado por Bárbara Wong

Sugerir correcção
Comentar