Uma fuga adolescente para ganhar o futuro

É o regresso dos Artistas Unidos à obra do escocês David Greig. Em Lua Amarela, Lee e Leila são dois adolescentes à procura de ter mão na sua vida. A encenação de Pedro Carraca fica no Teatro da Politécnica, em Lisboa, até 18 de Dezembro.

Foto
Leila (Rita Rocha Silva) é uma adolescente muçulmana, modelo de bom comportamento, dedicada aos estudos e a caminho de seguir para a universidade JORGE GONÇALVES

David Greig partiu da música. Escreveu Lua Amarela seguindo a estrutura de uma balada folk e inspirou-se em Stagger Lee, personagem cuja história está espalhada por várias discografias de músicos de blues e chegou até às Murder Ballads de Nick Cave. A canção, na verdade, baseia-se na história de dois amigos, William Lyons e Lee Sheldon, que, depois de uma discussão num saloon, em 1895, a propósito de um chapéu que o primeiro roubou ao segundo, acabou com um disparo mortal. Sheldon recolheu o seu chapéu e partiu calmamente. Segundo o jornal que noticiou o crime, Lee Sheldon era conhecido como ”Stag” Lee.

Sugerir correcção
Comentar