Major entrega diamantes e revela todo o esquema de tráfico que envolvia os aviões militares

Foram as denúncias de um intérprete, que não foi pago por ter intermediado um negócio de oito diamantes, e de um major, que não quis alinhar no crime, que levaram as autoridades a descobrir uma rede liderada por ex-militares e militares que participaram em missões da ONU e que se dedicaram ao tráfico e ao branqueamento de capitais.

Foto
Os diamantes vinham da República Centro Africana onde os militares estavam em missão da ONU LUSA/CEMGFA

Foram duas as denúncias que chegaram ao comandante da 6.ª Força Nacional Destacada (FND) na República Centro-Africana (RCA), em Dezembro de 2019, e que levaram à descoberta de uma rede de tráfico de diamantes, ouro, droga e branqueamento de capitais, envolvendo militares e ex-militares portugueses. O grupo foi desmantelado pela Polícia Judiciária (PJ) na segunda-feira, no âmbito da Operação Miríade.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários