Elementos da PSP e GNR faziam parte do núcleo duro da rede liderada por ex-militar que traficava diamantes

São “irmãos de armas” do líder da rede, que tem 25 anos e domina a gíria bancária. Angariavam interessados nos negócios e pessoas que disponibilizavam as suas contas bancárias.

Foto
Os três são “irmãos de armas” e têm uma relação de amizade e confiança LUSA/CEMGFA

O agente da PSP e o guarda provisório da GNR em formação que estão entre os 11 detidos pela Polícia Judiciária (PJ) na Operação Miríade faziam parte do núcleo duro liderado por Paulo Nazaré. A rede incluía militares e ex-militares que participaram em missões da ONU, na República Centro-Africana (RCA) e traficavam diamantes, ouro e droga.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários