Ministério recebeu 3000 queixas sobre refeições escolares em cinco anos

Desde 2017 que a ASAE suspendeu o funcionamento de sete cantinas escolares, tendo instaurado dez processos-crime “por géneros alimentícios deteriorados e corrupção de substâncias alimentares”. Ministério aplicou 57 multas a empresas que gerem refeitórios.

Foto
Maioria das refeições escolares já não é uma responsabilidade das escolas e foi entregue, em grande parte dos casos, a empresas privadas Nelson Garrido

Nos últimos cinco anos, o Ministério da Educação (ME) recebeu cerca de 3000 queixas relacionadas com as refeições escolares. O número foi transmitido ao PÚBLICO pelo ministério liderado por Tiago Brandão Rodrigues, que, contudo, não detalhou quantas reclamações foram recebidas em cada ano, pelo que não se consegue perceber se houve uma tendência crescente ou decrescente das queixas. A percepção de quem trabalha nas escolas é a de que a qualidade da alimentação melhorou. Ainda assim, dizem, há muita margem para fazer melhor. 

Sugerir correcção
Ler 12 comentários