Chanel inflaciona preços das malas em período pré-natalício

A singular bolsa 2.55, criada por Gabrielle Chanel em 1955, custa hoje 7800€; há um ano, o preço era de 6050€.

Foto
Na Chanel, os ajustamentos de preços são feitos de modo a evitar diferenças excessivas entre regiões EPA/ALI HAIDER

O grupo de luxo francês Chanel subiu os preços de algumas das suas malas mais procuradas, no período que antecede a época das compras de Natal, em que a forte procura dos consumidores se conjuga com a redução de stocks, aumentando assim a exclusividade dos produtos.

A Chanel, de capitais privados e uma das maiores marcas na indústria de luxo global, com um valor de 280 mil milhões de euros, e a rival Louis Vuitton, propriedade da LVMH, resistiram melhor à crise do coronavírus do que a maioria dos outros retalhistas e aumentaram os preços várias vezes para fazerem crescer as suas margens de lucro.

Embora, as vendas na Chanel tenham caído 17,6% no ano passado, a margem de lucro foi de cerca de 20%, de acordo com os analistas, o que a torna uma das empresas mais rentáveis do sector. Em Junho, a empresa disse esperar que as receitas de 2021 aumentem em dois dígitos, em comparação com os seus níveis pré-pandémicos de 2019.

Só no último mês, o preço da pequena mala clássica Chanel subiu 16%, custando agora 7300€. A subida, inicialmente relatada pelo canal de notícias francês BFM TV, foi confirmada pela Reuters utilizando o Internet Archive, um repositório de páginas web passadas. O preço de outra bolsa popular, a de couro acolchoado com uma corrente dourada, era de 7800€ no site da Chanel, esta quinta-feira, em comparação com 6050€, em Dezembro de 2020, um aumento de quase 30%, mostra a análise da Reuters.

Um porta-voz da maison, também conhecida pelos seus fatos de tweed ou pelo famoso perfume N.º 5, explicou num e-mail que o aumento de preço “só diz respeito aos modelos icónicos, nomeadamente a Timeless Classic e a 2.55”. Na mesma mensagem, o porta-voz explica: “Como todas as grandes marcas de luxo, ajustamos regularmente os nossos preços para ter em conta as alterações nos nossos custos de produção e preços das matérias-primas, bem como as flutuações das taxas de câmbio”, rematando que os ajustamentos de preços são feitos de modo a evitar diferenças excessivas entre regiões.

Modelo Timeless Classic DR
Modelo 2.55 DR
Fotogaleria
DR

Em Junho, o director financeiro da Chanel tinha dito à Reuters que o grupo ainda não tinha aumentado os preços em 2021, mas que isso poderia mudar no segundo semestre, obedecendo à sua política de rever os preços a nível mundial duas vezes por ano.

Sugerir correcção
Comentar