Nem Eduardo Lourenço percebia economês

As “clarificações” sobre o chumbo do Orçamento do Estado não clarificaram nada. A política deu um espectáculo ilógico, a economia um espectáculo hermético.

Foi curioso ouvir os políticos repetirem esta semana que estavam a ser “muito claros”, “muitíssimo claros”, “claríssimos” em relação ao seu voto do Orçamento do Estado quando, na verdade, vimos tudo menos clareza.

Sugerir correcção
Ler 12 comentários