Da profecia à resignação de Marcelo. Como o Presidente chegou à dissolução do Parlamento

Depois de duas semanas intensas de contactos e declarações, Marcelo põe em marcha o processo de dissolução, com margem apertada para marcar eleições. E não vê mais riscos em 2022 do que haveria em 2023. Diligências feitas pelo Presidente nos últimos dias não incluiram o Governo, sabe o PÚBLICO.

Foto
"Eu sou como sou", disse Marcelo aos jornalistas esta quarta-feira LUSA/RODRIGO ANTUNES

Duas semanas depois de Marcelo Rebelo de Sousa atirar para cima da mesa das negociações orçamentais o cenário de dissolução da Assembleia da República, a sua profecia auto-realizou-se: o Orçamento do Estado foi mesmo chumbado, pela primeira vez na história da democracia, e agora não resta outro cenário ao Presidente da República senão cumprir a sua própria promessa e marcar eleições antecipadas.

Sugerir correcção
Ler 16 comentários