Sou uma mulher, não uma “pessoa que menstrua”

Há semanas, a revista científica The Lancet queixava-se da pouca pesquisa feita em “corpos com vagina”.

Sei bem que vivemos tempos inesperados. Há poucos meses colocaram-nos fechados em casa, sem contacto físico com pessoas de fora do agregado familiar, desinfetando furiosamente as mãos com álcool gel. E, no entanto, não sei se esta é a realidade mais estranha dos últimos anos. Há outra muito mais absurda: as mulheres já não podem dizer que são mulheres e aparentemente ninguém sabe nos dias de hoje o que é uma mulher.

Sugerir correcção
Ler 68 comentários