Adicional de ISP e contribuição da banca caem com chumbo do Orçamento

Especialistas assinalam que, sem um novo orçamento, as normas que preveem as contribuições sobre a banca e o sectores energéticos e os adicionais de ISP e IUC deixam de poder ser aplicadas a partir de 1 de Janeiro do próximo ano.

Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

Adicional de ISP, contribuição sobre o sector bancário e contribuição extraordinária sobre o sector energético são alguns dos impostos que, caso a proposta de Orçamento do Estado (OE) para o próximo ano seja chumbada e as contas públicas entrarem em 2022 em regime de duodécimos, deixam de estar em vigor.

Sugerir correcção
Comentar