Alec Baldwin estava a apontar para a câmara quando a arma disparou

Enquanto o gabinete do xerife continua a fazer inquéritos e a investigar, ainda ninguém foi acusado do incidente fatal.

morte,acidentes,hollywood,eua,cinema,justica,
Fotogaleria
Vigília em memória da directora de fotografia Halyna Hutchins, no sábado, em Albuquerque Reuters/KEVIN MOHATT
morte,acidentes,hollywood,eua,cinema,justica,
Fotogaleria
Trabalhadores da indústria do cinema pedem mais segurança nos locais de gravação Reuters/KEVIN MOHATT
morte,acidentes,hollywood,eua,cinema,justica,
Fotogaleria
Reuters/KEVIN MOHATT
,Cinematográfico
Fotogaleria
Reuters/KEVIN MOHATT
morte,acidentes,hollywood,eua,cinema,justica,
Fotogaleria
Reuters/KEVIN MOHATT

Durante o ensaio, Alec Baldwin estava a passar com o revólver junto ao seu corpo quando apontou para uma câmara e a arma disparou, atingindo Halyna Hutchins, de 42 anos, no peito, revela um depoimento enviado para tribunal e divulgado no domingo. A declaração fornece detalhes adicionais sobre o tiroteio de quinta-feira no Novo México, que matou a directora de fotografia, e feriu o realizador Joel Souza. Baldwin recebeu a arma e declarou que aquela estava descarregada, relataram as autoridades de Santa Fé.

“Joel afirmou que Alec estava sentado num banco no edifício da igreja [um cenário], e que estava a ensaiar um tiroteio cruzado. Joel disse que estava a olhar por cima do ombro de Hutchins quando ouviu o que parecia um chicote e um estalo alto”, refere a declaração.

Halyna Hutchins foi baleada na zona do peito, acrescenta o texto, que cita depoimentos das autoridades que acorreram ao local. “Joel lembra-se vagamente de Hutchins se queixar sobre o seu estômago e de agarrar a barriga. Joel também disse que Hutchins começou a tropeçar para trás e foi ajudada a descer”, acrescenta a declaração. Halyna Hutchins disse que não sentia as pernas, referiu Reid Russel, um colega da fotografia que estava mesmo ao seu lado no momento do tiroteio.

Enquanto o gabinete do xerife continua a fazer inquéritos e a investigar, ainda ninguém foi acusado do incidente fatal durante o ensaio no Bonanza Creek Ranch. Os meios de comunicação social já levantaram algumas preocupações sobre os protocolos de segurança no set do filme de baixo orçamento. Tanto Joel Souza como Reid Russel relataram que houve uma equipa de filmagem desistiu de trabalhar neste filme antes do acidente.

“Reid afirmou que a equipa de filmagem estava a ter problemas com a produção do filme, relativamente a pagamentos e estadas”, diz o depoimento, acrescentando que Russel informou ainda que seis pessoas abandonaram o trabalho. No domingo, Serge Svetnoy, electricista-chefe em Rust, escreveu uma publicação no Facebook onde afirma que segurou Hutchins pelos braços enquanto ela estava a morrer e considera que houve “negligência e falta de profissionalismo” em todo o processo.

Um perturbado Baldwin, 63 anos, foi fotografado no sábado do lado de fora de um hotel em Santa Fé, abraçando e conversando com Matt Hutchins, o marido de Halyna Hutchins, e o seu filho de nove anos. Numa declaração lida durante uma vigília à luz de velas, no sábado, em memória de Halyna Hutchins, o marido lamentou a morte de Halyna, considerando-a uma perda enorme. O American Film Institute criou um fundo para financiar bolsas para cineastas em homenagem à directora de fotografia.

Também no sábado, o realizador Joel Souza emitiu um comunicado em que escreveu: “Estou arrasado com a perda da minha amiga e colega Halyna. Ela era gentil, vibrante, incrivelmente talentosa, lutou por cada centímetro e sempre me incentivou a melhorar.” Não acrescentando detalhes sobre o que aconteceu, nem sobre os seus ferimentos, o realizador confessou sentir-se “humilde e grato pela demonstração de afecto” recebida da “comunidade cinematográfica, das pessoas de Santa Fé e das centenas de estranhos que nos contactaram”.

Quem pegou na arma?

O site de celebridades TMZ, citando fontes não identificadas ligadas à produção, avançou que a arma entregue a Baldwin já tinha sido usada por membros da equipa para praticar tiro ao alvo com balas reais. De acordo com o Los Angeles Times, há mais de uma semana que o duplo de Baldwin disparou acidentalmente dois tiros de uma arma, após ter sido informado que estava “fria”, um termo da indústria cinematográfica que significa que uma arma não está carregada com munição reais. A Reuters não conseguiu verificar o relatório e a polícia de Santa Fé também não confirmou estas informações.

No final da semana, a Rust Movie Productions disse que, embora “não tenha sido informada de nenhuma reclamação oficial relativa à segurança das armas ou adereços no set”, que está a fazer uma avaliação interna de todos os procedimentos enquanto a produção estiver suspensa.

De acordo com os documentos do tribunal, a arma foi entregue a Baldwin pelo assistente de direcção do filme, Dave Halls, que tem mais de 20 anos de experiência no ramo. O produtor de cinema Aaron B. Koontz, que trabalhou com Halls em dois filmes e não está envolvido na produção de Rust, declarou ao Los Angeles Times que Halls é um bom profissional. “Dave é extremamente eficiente e é muito bom em manter o ritmo [das filmagens]”, declarou. No entanto, a técnica de efeitos especiais Maggie Goll, que trabalhou com Halls na série de televisão “Into the Dark”, tem uma opinião diferente. “Ele não mantinha um ambiente de trabalho seguro”, disse à NBC News. 

Hannah Gutierrez, 24 anos, era responsável pelo armeiro e de acordo com um depoimento feito por um detetive, coube-lhe a ela preparar três armas de apoio e colocá-las num carrinho do lado de fora do edifício onde os ensaios estavam a ser feitos. Depois do tiroteio fatal, Gutierrez recebeu a arma e tirou a cápsula usada antes de a entregar aos polícias que chegaram ao rancho. Há um mês, a jovem confessou o seu receio de não estar à altura do seu trabalho quando foi escolhida para armeira-chefe de um outro western, "O Velho Caminho”, protagonizado por Nicolas Cage, que tem lançamento previsto para o próximo ano. “No início, eu estava muito nervosa e quase não aceitei o trabalho porque não tinha certeza se estava pronta, mas foi muito tranquilo”, contou Gutierrez ao podcast "Voices of the West” sobre filmes de faroeste.

Jeffrey W. Crow, que supervisionou Hannah Gutierrez no filme de Cage, disse ao Los Angeles Times que ficou impressionado com ela. “Tendo trabalhado com Hannah, estou surpreendido que isto tenha acontecido sob a sua supervisão”, disse. “Penso que ela é uma armeira excepcionalmente jovem, promissora, muito ambiciosa e talentosa”, acrescentou. A jovem seguiu a profissão do seu pai, Thell Reed, um conhecido armeiro de Hollywood. 

Halls não fez quaisquer comentários, o mesmo acontecendo com Hannah Gutierrez, a armadora-chefe do filme, também envolvida na investigação do xerife.

No sábado, cerca de 200 pessoas participaram da vigília por Halyna Hutchins em Albuquerque. Enquanto os organizadores enfatizavam que o evento era para homenagear a memória da directora de fotografia, algumas pessoas empunhavam cartazes em que pediam “Segurança no set”. Uma segunda vigília foi realizada no domingo na área de Los Angeles, onde algumas centenas de pessoas fizeram luto num estacionamento privado.