COP26: clima desfavorável para Glasgow

A crise energética poderá complicar as negociações. Embora os elevados preços dos combustíveis fósseis tornem as energias renováveis mais atrativas, também podem levar a que os países em desenvolvimento dependentes da exportação de hidrocarbonetos apostem mais na sua exploração e produção.

No próximo ano, terão passado três décadas desde a emblemática Conferência do Rio de Janeiro, na qual foi adotada a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (CQNUAC). Em 1997, foi assinado o Protocolo de Quioto e, em 2015, os países adotaram o Acordo de Paris. Ao longo de quase 30 anos de negociações, as emissões globais de gases de efeito estufa aumentaram substancialmente e a um ritmo acelerado, e a crise climática agravou-se significativamente. Em 1992, a concentração média de CO2 na atmosfera era de aproximadamente 357 ppm; em 2020, atingia 414 ppm.