E o muro à esquerda voltou a pôr-se de pé

António Costa encontrou em 2015 um atalho milagroso para a sua sobrevivência política, e achou que tinha descoberto a pólvora; que era a queda de um muro de 40 anos. Não era.

É uma das frases mais badaladas da carreira de António Costa, e foi proferida a 10 de Novembro de 2015, dia em que o Parlamento aprovou a moção de rejeição do Governo de Passos Coelho. Quando já sabia que ia ser o próximo primeiro-ministro, António Costa anunciou pomposamente: “Acabou um tabu, derrubou-se um muro, venceu-se mais um preconceito”. Os antigos partidos “de protesto” estavam transformados em partidos do “arco da governação”, e o PS passava a poder governar com coligações à sua esquerda.