Costa e Rangel ou como a história rima

Aquilo a que estamos a assistir na disputa pelo poder no PSD é um decalque do que sucedeu em 2014 com o PS. Vamos às grandes semelhanças e também às (pequenas) diferenças.

“A história nunca se repete, mas muitas vezes rima”, dizia o escritor norte-americano Mark Twain. Na política portuguesa, está definitivamente a rimar. Aquilo a que estamos a assistir na disputa pelo poder no PSD é um decalque do que sucedeu em 2014 com o PS. Paulo Rangel está a fazer a Rui Rio o mesmo que António Costa fez a António José Seguro? Do ponto de vista táctico, sim. Veremos os resultados.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários