Medidas do Governo para trabalho e saúde ainda não satisfazem PCP e Bloco

Com Costa ausente em Bruxelas, Governo evita falar de negociações, mas Carlos César atira-se aos antigos parceiros questionando se estão interessados.

Foto
LUSA/ANTÓNIO COTRIM

A recusa sistemática da ministra da Presidência em fazer qualquer comentário sobre o andamento das negociações do Orçamento do Estado (OE) é um sinal de que as medidas na saúde, no trabalho e na cultura aprovadas em Conselho de Ministros poderão ter chegado tarde. Nem que seja porque boa parte delas – tanto na saúde como na legislação laboral – não têm sequer um calendário possível de apontar.