Patson Daka é mais um goleador feito em Salzburgo

Quatro golos pelo Leicester City num jogo da Liga Europa contra o Spartak Moscovo colocaram o jovem avançado zambiano na ribalta do futebol europeu.

Foto
Depois de marcar quatro golos, Patson Daka ficou com a bola Reuters/MAXIM SHEMETOV

Minuto 45, 2-1, golo de Patson Daka. Minuto 48, 2-2, golo de Patson Daka. Minuto 54, 2-3, golo de Patson Daka. Minuto 78, 2-4, golo de Patson Daka. Não é muito vulgar alguém marcar quatro golos num único jogo, ainda menos marcar esses quatro golos em apenas meia hora. Mas foi o que aconteceu no Spartak Moscovo-Leicester City da última quarta-feira, a contar para a Liga Europa. A equipa de Rui Vitória parecia navegar em águas tranquilas, mas, como diria o antigo técnico do Benfica, foi “comida de cebolada” por este jovem avançado zambiano que chegou esta época à Premier League inglesa. Muita gente ainda não sabe exactamente quem é Patson Daka. Mas está a descobrir.

Daka é mais um craque detectado pelo apuradíssimo scouting do Red Bull Salzburg, o clube austríaco que já lançou para a ribalta do futebol mundial jogadores como Erling Haaland, Sadio Mané ou Nabi Keita. Todos eles foram recrutados ainda adolescentes e tiveram a fase final da sua formação no principal clube da cidade que também foi de Wolfgang Amadeus Mozart. E bem sabemos o que lhes aconteceu. Haaland brilha a grande altura no Borussia Dortmund e, em breve, irá ser a próxima transferência a valer “100 milhões ou mais”; Mané e Keita evoluem no Liverpool de Jürgen Klopp.

E Daka já está no Leicester City, que pagou ao Salzburgo 30 milhões para fazer dele o seu avançado de futuro quando Jamie Vardy se retirar. Não deixava, no entanto, de ser uma aposta arriscada. O jovem, então com 22 anos, tinha números de goleador – 67 golos nas três temporadas anteriores – mas alcançados no futebol austríaco, que não está propriamente no topo da hierarquia. Ainda assim, tinha o selo da formação do Red Bull Salzburgo e isso tem sido garantia de qualidade.

Daka tem tido uma adaptação progressiva ao futebol inglês, partilhando o espaço no ataque com Vardy e Kelechi Iheanacho, o nigeriano que o Manchester City deixou sair para o King Power Stadium há cinco épocas. Brendan Rodgers tem sido parcimonioso nas oportunidades que dá ao zambiano, mas os frutos apareceram na última semana. Daka marcou um dos golos que afundou o Manchester United no último sábado, dando seguimento a esse golo de estreia com mais quatro ao Spartak Moscovo.

A história de sucesso de Patson Daka começa quando ele tinha 14 anos. Estava a fazer um exame na escola quando um amigo lhe disse que um clube estava a fazer treinos de captação. O jovem acabou o teste, foi a casa buscar o equipamento e foi a correr para o treino. Jogou dez minutos e disseram-lhe para esperar. Dali a dois anos já estava a jogar na selecção principal da Zâmbia (2015), mais um ano e estava no Red Bull Salzburgo (que por ele pagou apenas 250 mil euros), primeiro para jogar na equipa de juniores, depois, por empréstimo, na equipa satélite, o Liefering.

A partir de 2018, ganhou um lugar na primeira equipa da formação austríaca e, durante época e meia, fez dupla com Haaland, dois anos mais novo. Quando o norueguês foi para o futebol alemão no início de 2020, o ataque ficou entregue a Daka e os seus números não diminuíram. Antes pelo contrário. Fizeram dele um avançado apetecível e, quando o seu destino parecia ser o clube irmão do Salzburgo, o RB Leipzig, o Leicester entrou em cena e suplantou em muito a concorrência dos alemães, que também têm fama e proveito de excelente estrutura de scouting e formação de jovens.

E para quem anda à procura do próximo Haaland ou do próximo Daka, o Red Bull Salzburgo já parece ter outros na calha. Aqui ficam três nomes: Karim Adeyemi, alemão de 19 anos, recrutado nos sub-15 do Unterhaching em 2017, já com 12 golos marcados esta época; Benjamin Sesko, esloveno de 18 anos, descoberto nos sub-17 do Domzale, sete golos marcados em 17 jogos esta época; Noah Okafor, extremo suíço de 21 anos recrutado ao Basileia em 2019, com oito golos marcados, dois deles no confronto recente com o Wolfsburgo na Liga dos Campeões.