Premier League trava patrocínios ligados aos proprietários dos clubes

Medida foi aprovada por larga maioria, depois das reservas levantadas pelo negócio que terminou com a compra do Newcastle por um fundo saudita.

Foto
Reuters/LEE SMITH

Os participantes da Premier League aprovaram, na segunda-feira à noite, uma regra que impede temporariamente os acordos de patrocínio de empresas ligadas aos proprietários dos próprios clubes. Uma medida que surge na sequência da operação de compra do Newcastle por parte de um investidor saudita.

As regras do fair-play financeiro limitam os gastos dos clubes com base nas receitas arrecadadas, mas os acordos a envolver empresas directa ou indirectamente ligadas aos donos dos clubes têm estado debaixo dos holofotes.

No encontro entre os representantes dos 20 clubes do principal escalão do futebol inglês, a proposta acabou por vingar, com 18 votos a favor, um contra (Newcastle) e uma abstenção (Manchester City), dois emblemas que terão levantado dúvidas de carácter legal.

A nova regra será aplicada durante um mês, enquanto um comité independente avaliará se fará sentido tornar esta medida permanente. E surge a reboque da operação de aquisição do Newcastle por um consórcio liderado pelo Public Investment Fund (PIF) saudita (que detém 80% do emblema) e por investidores como o PCP Capital Partners e a RB Sports & Media.

Nesse sentido, o Newcastle fica, pelo menos para já, impedido de celebrar acordos de patrocínio com empresas ligadas aos PIF.