Mergulhador amador descobre espada com 900 anos que terá pertencido a cruzado

Artefacto está em bom estado de conservação, aponta responsável de unidade arqueológica. Espada será colocada em exposição, depois de ser restaurada.

Descoberta acobteceu em Israel
Fotogaleria
Descoberta acobteceu em Israel Reuters/RONEN ZVULUN
Responsável diz que espada está em bom estado de conservação
Fotogaleria
Responsável diz que espada está em bom estado de conservação Reuters/RONEN ZVULUN
historia,patrimonio,culturaipsilon,portugal,europa,arqueologia,
Fotogaleria
Reuters/RONEN ZVULUN
historia,patrimonio,culturaipsilon,portugal,europa,arqueologia,
Fotogaleria
Reuters/RONEN ZVULUN
Fotogaleria
Reuters/RONEN ZVULUN

Uma espada, que se acredita ter pertencido a um cruzado que navegou até à Terra Santa há quase mil anos, foi recuperada no Mediterrâneo por um mergulhador amador, revelou, esta segunda-feira, a Autoridade de Antiguidades israelita. 

Apesar de estar coberta de organismos marinhos, a lâmina com um metro de comprimento e o punho eram suficientemente distintivos para chamar a atenção do mergulhador, depois de as correntes marítimas terem levantado as areias que enterravam a espada.

Foto
Organismos marinhos cobrem a espada RONEN ZVULUN/Reuters

A espada foi encontrada numa enseada perto da cidade portuária de Haifa, actualmente território israelita, que deverá ter servido como um porto de abrigo para marinheiros, afirmou Kobi Sharvit, director da unidade arqueológica da autoridade marítima.

“Estas condições atraíam navios mercantes ao longo das décadas, deixando para trás achados arqueológicos preciosos”, afirmou o responsável.

“Foi fantástico ver uma espada como esta. Debaixo de todas as pedras e conchas, está uma espada em bom estado de conservação. É maioritariamente de ferro, menos o punho, que terá sido feito em madeira ou com um outro material”, detalha Sharvit.

A espada, que se pensa ter 900 anos, será colocada numa exposição após ser sujeita a trabalhos de restauração e de limpeza.