Rússia anuncia encerramento da representação da NATO em Moscovo

Retaliação pela expulsão de oito russos por parte da Aliança Atlântica na sua representação diplomática em Bruxelas inclui ainda a suspensão desta missão por parte da Rússia.

Foto
Moscovo anunciou a suspensão das actividades da sua missão diplomática junto da NATO em Bruxelas Yves Herman/Reuters

A Rússia anunciou esta segunda-feira que irá suspender as actividades da sua missão diplomática junto da NATO depois de a Aliança Atlântica ter retirado as credenciais a oito diplomatas russos, acusando-os de espionagem.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, anunciou ainda que os diplomatas da NATO na capital da Rússia veriam retiradas as suas credenciais no início de Novembro e que a representação da organização em Moscovo, estabelecida em 2002 na embaixada da Bélgica na capital russa, seria, de seguida, encerrada, assim como o gabinete de informação criado no ano anterior para ajudar na relação entre a NATO e a Rússia.

A NATO reagiu dizendo que toma nota da declaração do ministro, mas que não recebeu comunicação oficial das questões que este levantou.

“No seguimento de certas medidas tomadas pela NATO, deixaram de existir as condições básicas para trabalhar em conjunto”, declarou agora Lavrov, em conferência de imprensa​. “Se os membros da NATO tiverem alguma questão urgente, podem contactar o nosso embaixador na Bélgica.”

No dia 6 de Outubro, a NATO anunciou que tinha retirado as credenciais a oito elementos da missão da Rússia junto da Aliança Atlântica, com sede em Bruxelas. Estes trabalhavam, acusou, “de forma não declarada” para os serviços de informações russos.

A Aliança Atlântica também reduziu para dez o número de credenciais que podiam ser solicitadas por Moscovo, o que representou uma diminuição da equipa da missão russa destacada na sede da NATO.

O secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, disse que a organização está a ver “um aumento nas actividades malignas da Rússia, pelo menos na Europa”, e por isso tem de agir. A relação entre a NATO e a Rússia está, considerou Stoltenberg, no ponto mais baixo desde a Guerra Fria.

“A NATO não está interessada em diálogo igualitário e trabalho conjunto”, disse Lavrov ao anunciar o encerramento da missão russa. “Sendo este o caso, não vemos necessidade de continuar a fingir que é possível que haja mudanças no futuro próximo.”