Costa parte para ronda decisiva de negociações do OE, mas esquerda mantém cepticismo

Depois de um fim-de-semana sem encontros nem avanços, o Governo quer voltar a sentar-se à mesa com os parceiros da esquerda, que mantêm o descontentamento em relação à actual proposta do OE2022.

Foto
António Costa voltará a reunir-se com os parceiros de esquerda durante esta semana Daniel Rocha

A menos de dez dias da votação do Orçamento do Estado na generalidade, o Governo deu sinais de que pretende investir numa última ronda de negociações com os parceiros de esquerda e desafiou o Bloco de Esquerda a entregar a sua proposta de acordo com as propostas que podem “salvar” o Orçamento. Ao PÚBLICO, fonte do executivo confirmou que a comitiva de António Costa quer reunir “com todos os partidos” ​(BE, PCP, PEV, PAN e as duas deputadas não-inscritas) com os quais tem dialogado sobre a proposta entregue há uma semana no Parlamento pelo ministro das Finanças. Segundo o Governo, continua a existir intenção de “alcançar mais aproximações com os partidos”. Mas à esquerda, o cepticismo prevalece e os desabafos são de que não existem progressos.