Carlos Moedas, o filho político de Passos que conquistou Lisboa pelo “rosto humano”

Subiu na vida “a pulso” como Cavaco, pratica a “política de afectos” como Marcelo, mas foi com Passos que se tornou o “homem da troika”. Carlos Moedas toma posse esta segunda-feira como presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Foto
Carlos Moedas nasceu em Beja em 1970 RICARDO LOPES

A primeira memória política do homem que foi eleito presidente da Câmara de Lisboa pela coligação da direita é Álvaro Cunhal. Quando Mariana Madrinha e Sebastião Bugalho perguntaram a Carlos Moedas para fazer o exercício de memória, numa entrevista ao Sol, a primeira coisa que “veio à cabeça” do novo autarca social-democrata de Lisboa foi esta: “Lembro-me do Álvaro Cunhal vir a Beja a um 1.º de Maio. Eu vivia em frente a um parque de campismo e lembro-me de ir com o meu pai ver aquela figura. Era realmente impressionante, metia um respeito enorme”. A entrevista tem muitos anos, Carlos Moedas ainda era comissário europeu e não lhe deveria passar naquele momento pela cabeça que um dia iria precisar de seduzir comunistas para aprovar propostas em Lisboa – o que vai acontecer a partir de hoje.