A Europa pode e vai fazer mais pela igualdade perante as vacinas

Continuamos empenhados em facilitar e apoiar as doações.

Vacinar o mundo é necessário para ultrapassar a pandemia de covid-19. Desde o início, a Europa levou muito a sério a responsabilidade para com a comunidade internacional. Para nós, nunca foi uma questão de colocar a UE em primeiro lugar. A solidariedade em matéria de vacinação foi sempre a nossa marca, tendo presente o compromisso de atingir 70% de vacinação global até ao final de Setembro de 2022.

Actualmente, em muitos países de rendimento baixo e médio-baixo, há um longo caminho a percorrer. Em África, por exemplo, apenas 4% da população está vacinada. Esta realidade é um desafio sem precedentes - mas, juntos, podemos e devemos estar à altura.

Os nossos Estados-membros estão em condições de contribuir, de forma significativa, para salvar vidas e pôr termo à pandemia em todo o mundo. Tal deve-se, em grande medida, ao êxito da Estratégia da UE para as Vacinas. Conseguimos construir uma carteira de vacinas diversificada com mais de 4,2 mil milhões de doses de vacinas seguras e eficazes. Até à data, foram entregues aos Estados-membros mais de 800 milhões de doses, o que permitiu a vacinação completa de mais de 290 milhões de europeus. Foi com este espírito de solidariedade e coordenação que cumprimos a nossa promessa de vacinar 70% da população adulta da UE contra a covid-19 até ao final do Verão.

Assegurámos doses suficientes para cobrir as necessidades da nossa população e partilhar com os outros países. A UE e os seus Estados-membros, agindo colectivamente enquanto Equipa Europa, comprometeram-se com a equidade e à solidariedade em matéria de vacinas. A Europa é a farmácia do mundo e a maior exportadora de vacinas e continuará a ajudar o resto do mundo. Exportámos, até à data, metade das vacinas produzidas na UE: 900 milhões de doses. Lideramos, com mais de 3 mil milhões de euros, o apoio à Covax, uma iniciativa mundial para garantir um acesso equitativo às vacinas contra a covid-19 em mais de 140 países.

Nós, enquanto Equipa Europa, e, em especial os nossos Estados-membros, devemos cumprir o nosso compromisso de apoiar os países de baixo e médio rendimento, garantindo-lhes mais de 250 milhões de doses até ao final de 2021. Até ao momento, os Estados-membros apenas partilharam cerca de 50 milhões. Está na altura de intensificar esforços nesse sentido. Enquanto Comissão faremos a nossa parte e mobilizaremos uma nova doação de mais 200 milhões de doses até meados de 2022.

Na Europa, estamos na via da recuperação pós-pandemia. A melhoria da situação sanitária e a atenuação das restrições relançam as nossas economias, prevendo-se agora que o PIB da UE cresça 4,8% em 2021 e 4,5% em 2022. Contudo, a situação é frágil. A pandemia prossegue e a recuperação mundial permanece desigual. O atraso na vacinação a nível mundial aumenta o risco de novas variantes mais perigosas.

A covid-19 não conhece fronteiras. Ninguém está a salvo enquanto não o estivermos todos. Não se trata de um clichê, mas de um imperativo moral. É uma necessidade de saúde pública e geopolítica. Só conseguiremos permitir o recomeço das viagens, o regresso a economias prósperas e uma vida sem medo quando aumentarmos a vacinação a nível global.

Continuamos empenhados em facilitar e apoiar as doações. Para ajudar os países a administrar as vacinas, é essencial garantir a transparência dos calendários de produção e entrega. Estamos também a investir na produção local de vacinas e de medicamentos para dar resposta às necessidades estruturais em África, combater o estrangulamento nas campanhas de vacinação e reforçar as capacidades de prontidão e resposta.

A Equipa Europa desempenha um papel essencial na promoção da solidariedade mundial no que toca às vacinas, na erradicação da pandemia e numa melhor recuperação. Isto inclui reforçar a arquitectura mundial de segurança sanitária e fortalecer a preparação contra ameaças sanitárias globais. Uma prioridade para nós e uma parte integrante da União Europeia da Saúde.

A Autoridade Europeia de Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA, no acrónimo inglês) é um exemplo do contributo para reforçar a cooperação internacional e a resposta a emergências e futuras ameaças sanitárias transfronteiriças.

Só conseguiremos ultrapassar esta pandemia juntos. E só poderemos estar preparados para os próximos desafios se cooperarmos a nível mundial.