Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

Primeiro-ministro do país visitou esta sexta-feira a cidade de Kongsberg, onde um homem matou cinco pessoas na quarta-feira. O atacante usou várias armas, incluindo um arco e flechas.

Foto
O novo chefe do Governo norueguês participou numa homenagem em Kongsberg Reuters/NTB

O suspeito do ataque de quarta-feira na cidade norueguesa de Kongsberg, que fez cinco mortos e três feridos, foi entregue aos serviços de saúde para ser submetido a uma avaliação do estado mental.

A polícia da Noruega já disse que está a investigar o caso como um possível acto de terrorismo, mas a avaliação do estado mental do suspeito é obrigatória antes do anúncio de qualquer decisão da polícia ou do Ministério Público.

Ainda assim, a directora da polícia de Kongsberg, Ann Iren Svane Mathiassen, disse ao canal NRK que os procedimentos judiciais são os mesmos seja qual fora a decisão dos serviços de saúde. Na prática, esclareceu a responsável, só poderá mudar o local do cumprimento da pena – numa cadeia comum, ou num estabelecimento psiquiátrico.

Esta sexta-feira, um tribunal ordenou que o suspeito – um cidadão dinamarquês de 37 anos, identificado como Espen Andersen Brathen – permaneça em prisão preventiva por mais quatro semanas.

Na quinta-feira, as autoridades disseram que Brathen está a colaborar nas investigações e que já admitiu a sua responsabilidade. O suspeito estava numa lista da polícia por possível radicalização, depois de se ter convertido ao islão.

Visita do primeiro-ministro

No seu segundo dia no cargo, esta sexta-feira, o novo primeiro-ministro da Noruega, Jonas Gahr Store, visitou a cidade de Kongsberg, onde participou numa cerimónia de homenagem ao lado da ministra da Justiça, Emilie Enger Mehl.

“Temos de nos unir e apoiar os outros quando enfrentamos uma crise como a que tivemos aqui em Kongsberg”, disse Store.

Cinco pessoas foram mortas pelo atacante, que usou várias armas, incluindo um arco e flechas. Outras três pessoas ficaram feridas, e já receberam alta do hospital.