Cientistas ameaçados de morte em tempo de pandemia

A Nature publicou os resultados de uma sondagem que realizou e que concluiu que 15% de 321 cientistas inquiridos admitem ter recebido ameaças de morte e quase 60% foi alvo de “ataques à credibilidade” depois de falarem sobre a covid-19

Foto
julia koblitz/unsplash

“’Espero que morras’: como a pandemia da COVID desencadeou ataques aos cientistas” é o título da notícia publicada esta semana no site da Nature. A mensagem escolhida para o destaque será das mais agressivas para ilustrar a questão de fundo: a inédita exposição pública que os cientistas tiveram com a pandemia não trouxe só prestígio para os “comentadores” mais assíduos. Muitos, diz a sondagem feita pela Nature, foram alvo de ameaças, insultos e mensagens de ódio depois de falarem nos media ou nas redes sociais sobre a covid-19. Em Portugal também, confirmou o PÚBLICO.