Rangel anuncia que é candidato à liderança do PSD esta noite no conselho nacional

Eurodeputado vai assumir a candidatura à sucessão de Rui Rio no conselho nacional desta noite em Lisboa.

Foto
Paulo Rangel tinha sido aconselhado a fazer o anúncio esta noite Mário Cruz/Lusa

Paulo Rangel vai seguir o conselho que recebeu nos últimos dias e vai anunciar que é candidato à liderança do PSD no conselho nacional desta noite, confirmou ao PÚBLICO fonte próxima do eurodeputado depois de vários órgãos de comunicação social terem avançado com a notícia. O anúncio era esperado já há algumas semanas, mas acabou por ser atrasado por causa dos resultados das autárquicas que foram favoráveis à actual direcção de Rui Rio. 

O eurodeputado era uma figura próxima de Rui Rio - é aliás o número um da lista ao conselho nacional subscrita pela actual direcção do partido - mas tem-se vindo a afastar desta liderança. Logo em Janeiro, após as presidenciais, Paulo Rangel defendeu que o PSD deveria fazer uma oposição ao Governo mais afirmativa. Nesse mesmo mês, o eurodeputado rejeitou uma candidatura à Câmara do Porto, o que foi lido pela liderança de Rui Rio como um posicionamento para uma disputa interna. 

No início de Setembro, em pré-campanha autárquica, Paulo Rangel deu uma entrevista à SIC em que assumiu a sua homossexualidade. Nas últimas semanas tornou-se evidente a aliança entre o eurodeputado e Miguel Pinto Luz que concorreu à liderança do partido em 2020. Desta vez apoia Rangel. As movimentações do eurodeputado acabaram por afastar Luís Montenegro na corrida eleitoral interna. Agora, os apoiantes do antigo líder parlamentar estão inclinados para ficar ao lado de Rangel embora nem todos.

O conselho nacional desta noite servirá para medir forças entre os apoiantes de Paulo Rangel e os de Rui Rio, apesar do actual líder ainda não ter assumido que é candidato a um novo mandato. 

Eleito eurodeputado pela primeira vez em 2009, Paulo Rangel foi também líder parlamentar do PSD entre 2008 e 2009 na liderança de Manuela Ferreira Leite. Em 2010, foi candidato à liderança do PSD, conseguindo 34,4% dos votos contra os 61% de Pedro Passos Coelho, numas eleições a que também concorreram José Pedro Aguiar Branco (3,42%) e Castanheira Barros (0,27%).